O Dilema da Integração de Softwares: Construir ou Comprar?

16
 min de leitura

Conheça as vantagens e desvantagens entre construir seus projetos de integração internamente ou comprar uma plataforma de integração.

O Dilema da Integração de Softwares: Construir ou Comprar?

Integração: a bola da vez

Muitas empresas, quando necessitam desenvolver soluções para conectar dados entre sistemas diversos percebem que as plataformas de integração podem servir como um potencializador para alavancar suas soluções. A necessidade da transformação digital está criando a economia das plataformas digitais e APIs.

Contudo,muitos CEOs, CTOs, CIOS e Gerentes de Projetos compreendem que o desenvolvimento interno e a construção de integrações in-house podem ser mais benéficos devido, principalmente, à percepção de ser necessário um menor investimento.

Por isso,vamos elencar aqui os prós e os contras do dilema da integração: Construir ou Comprar? Quais as vantagens e desvantagens entre construir seus projetos de integração internamente ou contratar soluções de tecnologia focadas e otimizar esse processo?

O dilema: construir ou comprar uma plataforma de integração? 

Quando o assunto é integração, a complexidade do projeto é determinante para definir os possíveis caminhos a serem tomados. Aqui é válido lembrar que, em alguns casos,o time de tecnologia possui uma falsa sensação de se tratar de uma demanda simples, sem uma visão realista sobre o nível de sua complexidade das integrações, podendo levar a um erro de cálculo nos projetos.

Por isso, é importante avaliar todos os caminhos e cenários possíveis para solucionar problemas e desafios na implementação de integrações ágeis e eficientes.

Quais os possíveis caminhos para integrar ecossistemas de dados e softwares?

Em linhas gerais, existem três alternativas possíveis para implementar integração:

  • Usar a     integração nativa das aplicações;
  • Construir     um fluxo das integrações de ponta a ponta e/ou terceiriza-la;
  • Contratar     uma plataforma de integração (iPaaS).

Vamos entender melhor cada um desses caminhos.

Usando as integrações nativas das aplicações

Bastante comum em SaaS, as integrações nativas oferecem possibilidades mais simples,geralmente limitadas entre as poucas aplicações disponíveis ou somente entre as mais utilizadas no mercado.

Além disso,nem todos os SaaS possuem integrações nativas e, quando se tem, cria-se uma forte dependência da gestão dessas integrações. Nesse caso, a falta de visibilidade quando elas não funcionam corretamente e a falta de campos customizados acabam limitando a operação.

Soma-se ainda o fato de que a empresa fica totalmente dependente exposta ao risco de perder todo o processo em caso da descontinuação das integrações. 

Podemos citar como exemplo, as integrações que o HubSpot oferece com Shopify, Google Calendar, Gmail, entre outras. Se as integrações disponíveis atenderem a sua necessidade, esse é o caminho a seguir. Porém, muito dificilmente as demandas de uma empresa permanecem estáticas ao longo de seu crescimento, sem contar queo surgimento de inúmeras aplicações e novos recursos de softwares alteram as necessidades de integrações constantemente.

Nesse caso, é preciso estar ciente de que as possibilidades de integrações ficarão limitadas e que os tipos de conexões normalmente conflitam.

Construindo integrações internamente: Building In-house

Diversas empresas, principalmente aquelas que já possuem uma equipe de tecnologia sólida, buscam o caminho do desenvolvimento interno de seus projetos  de integrações.

Existem diversas bibliotecas disponíveis que auxiliam na execução desses projetos.Porém, elas podem fazer parecer que o desafio seja menor do que realmente é.Cria-se a falsa “sensação” de que para contratar uma plataforma de integração é necessário um alto investimento e que "ela não ajudará tanto no projeto".

Dessa forma,iniciam os desenvolvimentos  de integrações ponta-a-ponta dentro de casa.De início, algo que era para durar alguns dias vai se transformando em um projeto de semanas ou até meses, pois complexidades como diferentes métodos de autenticação, transformação de dados e tratamentos de erros acabam surgindo. 

Depois de colocar em produção, novos campos dos sistemas surgem e, com eles, novas demandas de manutenção e otimização. Com sorte, caso o mesmo desenvolvedor que construiu tenha disponibilidade, a manutenção pode acontecer, caso contrário,resta esperar que o projeto tenha sido bem documentado para que uma segunda pessoa possa dar continuidade na manutenção. Com novas demandas surgindo e o alto tempo de execução, o projeto vai ser tornando uma bola de neve desgastante e desorganizada.

Um caso bastante comum também em integrações construídas internamente, é que os desenvolvedores estão focados somente em integrar um sistema no outro, e poucos conseguem criar um bom processo de monitoramento. Dessa forma, somente se descobre que uma integração para de funcionar quando os problemas já chegaram nas pontas do processo, com o consumidor final abrindo chamados e reclamações afirmando que "os dados não estão atualizados" ou que"a entrega do pedido está atrasada", contribuindo para denegrir a imagem da empresa.

Esforços para gerenciar a infra-estrutura, monitoramento  dos fluxos de integração e a falta de proatividade na identificação de problemas são apenas alguns de muitos pontos que precisam ser levados em consideração ao optar pela construção in-house.

A empresa,então, acaba dispersando do seu foco principal de negócio, centralizando esforços e energia em um projeto não escalável que trará problemas futuros de olhar para inovação do negócio:

  • As     especificações do projeto mudam constantemente;
  • Torna-se     necessário ampliar o time de tecnologia para assuntos secundários do     negócio;
  • O     turnover entre colaboradores contribui para que o projeto se torne ainda     mais demorado;
  • As     atualizações das aplicações integradas demanda maior número de     manutenções;
  • As     demandas por novas funcionalidades de clientes e parceiros tornam-se     tarefas difíceis de executar devido à baixa agilidade e escalabilidade das     integrações.

No final, sua empresa se torna refém de um ecossistema não escalável que é difícil de lidar e exige constantes manutenções.

Contratando uma plataforma de integração: Buying iPaaS

Uma forma moderna para solucionar os diferentes desafios de projetos complexos é contratar uma Plataforma de Integração ou iPaaS.

O que é um iPaaS?

iPaaS significa Integration Platform as a Service, ou plataforma de integração como um serviço, é um conjunto de serviços em nuvem que premie o desenvolvimento, execução e governança de fluxos de qualquer tipo de integração. Os iPaaS são dedicados às simplificação e padronização de integrações ponta-a-ponta em diferentes aplicações e sistemas que são usados dentro de um ecossistema empresarial.

Uma plataforma de integração permite conectar diferentes aplicações, sejam elas SaaS, sistemas legados, Banco de Dados ou até arquivos que são importantes para a automatização de processos de negócios e para a garantia da sincronia dedados entre diversas fontes, com gestão facilitada.

Em resumo,uma plataforma de integração permite construir, controlar e analisar todas as integrações de forma proativa de ponta a ponta. 

Existem dois tipos de iPaaS, os Consumer iPaaS, que são ferramentas que trazem automações prontas no modo plug-and-play, como Zapier e IFTTT; e as Enterprise iPaaS, que são ferramentas projetadas para profissionais técnicos e abrem grandes possibilidades de customizações e flexibilidade, voltadas para ambientes corporativos, como a LinkApi.

Essa ferramenta, que assim como um SaaS, é contratada usualmente por meio de uma assinatura e já oferece toda infra-estrutura embarcada na solução com dezenas de funcionalidades que aceleram o desenvolvimento e gestão desse tipo de projeto.

Quanto maior a complexidade das integrações, maior a necessidade do uso de uma plataforma de integração, principalmente para empresas que atuam diretamente com transformação digital.

Para saber mais sobre esse assunto, recomendamos a leitura sobre o que é um iPaaS em nosso site e também o texto do nosso CEO, Thiago Lima, no Medium.

Como contratar uma boa plataforma de integração

Uma boa plataforma de integração oferece ferramentas que facilitam o dia-a-dia das equipes de tecnologia, permitindo escalabilidade com gestão e monitoramento de interações pró-ativas e/ou reativas. Por isso, contratar uma plataforma de integração tem sido a melhor opção para projetos complexos de tecnologia.

Certamente você já se deparou com cenários em que um dado deveria ter sido integrado a outro sistema e, por algum motivo, não foi. Um iPaaS entrega notificações em tempo real das integrações que não funcionaram, além de todos os passos e histórico dos fluxos para que sua resolução seja simples e ágil.

Uma ferramenta que tem se tornado fundamental para essas equipes terem mais agilidade na construção, melhor visibilidade e pró-atividade no monitoramento e resolução de problemas, além de não precisarem se preocupar com uma infra-estrutura que suporte os processos e a segurança dos dados transacionados.

Confira alguns benefícios em contratar uma plataforma de integração completa como a LinkApi pode levar para sua empresa: 

  • Garante     a gestão e o monitoramento eficiente das integrações
  • Prevenção     e identificação de possíveis problemas
  • Arquitetura moderna e escalável
  • Integrações padronizadas e organizadas
  • Ganho     de eficiência e produtividade para times de tecnologia
  • Flexibilidade     de integrações com qualquer tipo de aplicação (do sistema legado ao webservice mais moderno)
  • Integrações     de ponta a ponta do ecossistema
  • Disponibilize     sua API para o ecossistema de forma segura
  • Simplifique arquiteturas de integrações complexas
  • Ganhe     tempo e reduza custos de manutenção com integrações
  • Ofereça     novos recursos e enriqueça sua oferta de negócio

Com a LinkApi, você potencializa seus fluxos de automações, otimiza seus processos e ganha escalabilidade e segurança com uma plataforma moderna, ágil e fácil de usar, feita de Dev para Dev.

O tira-teima do dilema da integração: Construir ou Contratar?

Construindo integrações internamente

  • Exige     capacitação de time para integrações
  • Maior     curva de aprendizado para iniciar integrações do zero
  • Dependência de conhecimento de pessoas
  • Documentação deficitária
  • Maior     custo e tempo de entrega
  • Dispersão     da equipe de tecnologia com questões secundárias do negócio
  • Falta     de visibilidade, monitoramento e gestão de integrações
  • Dificuldade     para atender demandas de automação de processos de clientes e parceiros
  • Arquitetura desorganizada e sem padrão
  • Integrações     que funcionam em casos isolados
  • Falta     de segurança na entrega dos dados
  • Problemas     de escalabilidade por crescimento de demanda

Contratando uma plataforma de integração

  • Suporte de equipe especializada
  • Menor     custo e tempo de entrega
  • Ganho     de produtividade da equipe de tecnologia para desenvolver soluções     inerentes ao negócio
  • Aceleração     no desenvolvimento com componentes pré-construídos
  • Visibilidade     por meio de monitoramento e gestão de integrações
  • Arquitetura     ágil e moderna, com padronização e versatilidade
  • Infraestrutura elástica e inteligente
  • Integrações ágeis e escaláveis
  • Customização     projetos dos mais simples aos mais complexos
  • Independência     de comunicação com qualquer interface de dados: APIs, banco de dados, webservices ou até arquivos
  • Ativação     através de agendamentos de triggers ou com uso de webhooks
  • Monetização     do negócio com pacotes prontos de integração
  • Novas     ofertas digitais para o seu negócio
  • Transformação digital da empresa
  • Possibilita     e remodelagem do seu negócio

Vale a pena contratar uma plataforma de integração?

Integrações são extremamente importantes que possibilitam uma dinâmica moderna e eficiente às empresas, exigindo uma atenção redobrada de qualquer equipe de tecnologia.Muitas vezes o que parece simples pode se tornar uma “bola de neve” com uma arquitetura volumosa, não funcional e ineficiente.

O mercado tem percebido que as integrações possibilitam novos modelos de negócios e são fundamentais para a transformação digital e inovação tecnológica. 

No caso da LinkApi, além de todos os benefícios listados acima, a plataforma oferece ferramentas totalmente dev-friendly, tanto High Code (em JavaScript), quanto LowCode, que permitem acelerar o desenvolvimento dos projetos de integração deforma exponencial. Além da plataforma de integração como um serviço, a LinkApi oferece também Professional Services para empresas que precisam terceirizar o desenvolvimento de seus projetos de integração.

Assim, as empresas que contratam uma plataforma de integração, como a LinkApi, resolvem seus problemas mais rapidamente, possuem maior controle sobre possíveis falhasse inconsistências entre integrações, e conseguem dar respostas mais eficientes às transformações e adaptações exigidas pelo mercado em um cenário de transformação digital acelerada.

Compartilhar esse conteúdo: